QUALIDADE DA ÁGUA

    O acesso a água potável é uma necessidade humana fundamental e um direito humano elementar. Para que a água seja considerada potável, própria para consumo humano, ela deve obedecer a parâmetros microbiológicos, físicos, químicos e radioativos que atendam ao padrão de potabilidade e que não ofereçam riscos à saúde.

    No Brasil, esses parâmetros são estabelecidos pela portaria nº 2914, de dezembro de 2011 do Ministério da Saúde, que dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Em atendimento à portaria, o SAAE executa um monitoramento contínuo da qualidade da água, através de um plano de coleta e análise da água distribuída que chega ao usuário.

    As análises laboratoriais para controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano são realizadas em laboratórios próprios e laboratórios subcontratados, que de acordo com os artigos 21º e 22º da citada portaria possuem sistema de gestão da qualidade, conforme os requisitos especificados na NBR ISO/IEC 17025:2005. E utilizam metodologias analíticas que atendem às normas nacionais ou internacionais mais recentes, tais como: Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater de autoria das instituições American Public Health Association (APHA), American Water Works Association (AWWA) e Water Environment Federation (WEF); II – United States Environmental Protection Agency (USEPA); III – normas publicadas pela International Standartization Organization (ISO); e IV – metodologias propostas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

    O cumprimento dessas exigências garante a realização de análises de parâmetros microbiológicos, inorgânicos, orgânicos e de agrotóxicos; que permitem avaliar, as condições de potabilidade da água, garantindo um rigoroso e sistemático controle de qualidade da água tratada distribuída em nossa cidade.

    Leia aqui a portaria nº 2914/2011-MS na íntegra.

    ANÁLISES MENSAIS

    2018:

      2017:

         

        ANÁLISES TRIMESTRAIS

        2018:

          2017:

             

             

            ANÁLISES SEMESTRAIS

            2017: